Sistemas operacionais móveis: qual a diferença?

BlackBerry – RIM
Comunicação empresarial geralmente é a primeira ideia que surge quando ouvimos esse nome. O sistema, apesar de extremamente popular em países como os Estados Unidos, não é profundamente difundido pelo Brasil, talvez pelo seu próprio foco e pela falta de aparelhos no mercado, uma vez que ele só é utilizado para esta marca.

Falando em aparelhos, a maioria deles adota um padrão especial de teclado, contando com todas as letras do alfabeto e uma nova ordem que facilita a digitação nos portáteis. Suas funções são especificamente voltadas para a troca de mensagens de texto, navegação na internet e troca de emails (sendo implementada a tecnologia Push, para que as novas mensagens sejam baixadas automaticamente para o aparelho).

Famoso aparelhos com RIM

Com relação ao seu funcionamento, ele foi todo montado tendo o uso de vários recursos simultaneamente (multi-tasking) como foco, além de fazer uso extenso de dispositivos especiais dos aparelhos, tais como Tracking balls e Scroll Wheels (dispositivos para rolagens de páginas e textos, similares aos encontrados em mouses e teclados de notebooks). Apenas programas certificados podem ser rodados.

Se você preza pela troca de informações e reuniões virtuais a qualquer hora do dia para sua empresa, não pense duas vezes, esta é a escolha a ser feita! Além de ser considerado o celular ideal para executivos, seja pelas funcionalidades ou pela grife.

Mac OSX – iPhones

O que faz com que o iPhone, o iPod Touch e o iPad rodem com tamanha maestria é uma versão modificada do sistema operacional Mac OSX, que recebe o nome de iPhone OS. Seu foco é oferecer suporte para as tecnologias de reconhecimento de toques múltiplos, de inclinação (graças à inclusão do acelerômetro interno) e de multimídia, para a reprodução de vídeos, imagens e músicas.

A interface é simplificada, composta por ícones espalhados na área principal e outros fixos na parte de baixo da tela, chamada de “Dock”, para ligação, mensagens, email e outros de sua preferência. Para trocar de “telas”, basta arrastar o dedo de um lado para o outro, ao passo que para abrir o aplicativo é necessário apenas um toque sobre seu ícone.

No dia 3 de fevereiro a Apple lançou a versão 3.1.1 do sistema operacional que contém três melhorias pouco significativas. Espera-se que em breve a versão 3.2 chegue e seja compatível com o iPhone, pois parece que será exclusiva ao iPad. Apesar da interface impecável, há quem torça o nariz para as limitações impostas pela fabricante.

Você só pode baixar os aplicativos disponíveis na AppleStore – a menos que recorra à liberação do aparelho para aplicativos não oficiais, mas perca a garantia –, o que possui pontos bons e ruins. O lado positivo é que você sabe que tudo o que você baixar vai funcionar. Vírus ou outras ameaças com certeza não chegarão ao seu aparelho.

O lado ruim é a dependência da loja oficial e as restrições de compra de alguns aplicativos. Nem sempre é possível comprar o que você deseja na loja norte-americana, por exemplo. Também não há suporte para conectividade com dispositivos de terceiros, limitando o acesso a componentes Bluetooth .

Symbian
Fruto da parceria entre Ericsson, Nokia, Motorola e PSION, o sistema operacional é amplamente utilizado pela Nokia e se faz presente também em outras marcas, tendo como objetivos primários manter integridade e segurança dos dados, evitar desperdício de tempo do usuário e trabalhar com recursos escassos.

Esse desenvolvimento em conjunto resultou na formação da fundação Symbian, no ano de 1998, visando aproveitar ao máximo a convergência entre dispositivos portáteis do tipo PDA e de telefones celulares. Uma década depois, a Nokia anunciou a compra de todas as ações, prometendo o desenvolvimento de programas sem custos e acelerar a inovação no mercado.

Logo da Symbian Foundation

Hoje existem dezenas de variações do Symbian, o que prejudica a integração entre sistemas operacionais e aplicativos, pois nem sempre o que funciona em uma versão funciona na outra.

Atualmente as versões S60 (1°, 2° e 3° edição), UIQ (v 1.0,v2 e v3) , MOAP (v1, v2, v3, v4, v5 e v6) e ^1 estão disponíveis em vários modelos de aparelhos (vide tabela). Entretanto, em fevereiro de 2010 a primeira versão de código livre do SO foi lançada com o nome Symbian ^2.

Alguns modelos de celulares e as versões do SO

Porém, já no dia 15 de fevereiro a versão Symbian ^3, totalmente open source, foi liberada. Ainda não há nenhum aparelho à venda com esses dois últimos SOs, mas você pode conhecer um pouco mais da versão ^3 assistindo ao vídeo abaixo:

A versão ^4 tem previsão de lançamento para o final de 2010 e, de acordo com o site Symbian Foundation, ela terá suporte para display holográfico, protetor de dados pessoais, GPS e localizador do telefone, para usar nos casos de perda ou roubo do aparelho.
Um mar de versões
Quando se fala em versões, você já percebeu que o Symbian é campeão (isso sem falar do Symbian OS 6.0 até a 9.5). Para que você entenda um pouco melhor essa “salada” vamos resumir um pouco as coisas.

As versões mais modernas e que podem ser encontradas em celulares mais populares são a S60 3rd Edition FP 1,2 ou 3 (N95 e N85, por exemplo), a MOAP – predominante em modelos encontrados no mercado asiático – e a Symbian ^1 (N97 e E71, por exemplo). As demais já saíram de linha e estão presentes apenas em celulares lançados há mais de quatro anos.  A tendência é que as versões S60 aos poucos saiam de linha e o Symbian ^2 e ^3 dominem os novos aparelhos.

Identidade visual do Symbian

Symbian ^1

A versão ^1 também é conhecida como S60 5° Edição e possui um arsenal de recursos, multitarefa, suporte para GPS, captura de áudio e vídeo e muito mais. Em outras palavras, representa os smartphones atuais

Symbian ^2

De acordo com a Symbian Foundation, a versão ^2 oferece os mesmos elementos da ^1, mas traz algumas novidades. Entretanto, com poucos atrativos para impressionar, a Nokia decidiu lançar a versão ^3 e aprimorá-la ao invés de perder tempo para ir se preparando para o lançamento da ^4.

Symbian ^3

A versão ^3 já conta com execução de áudio e vídeo em alta definição, suporte HDMI, reprodução de gráficos avançados, compartilhamento de imagens direto com sites de hospedagem e muito mais.

Windows Mobile

Adotado por cada vez mais fabricantes, o Windows Mobile aparece como uma alternativa sólida para aqueles que desejam investir em celulares com foco mais corporativo. Esse é o perfil do Windows Mobile, aparelhos com foco em gerenciamento de emails, edição de arquivos e, na maioria dos aparelhos, pacote completo de conexões.

Isso porque ele acompanha todo o pacote de ferramentas do Microsoft Office, permitindo a edição de documentos já a partir da primeira utilização, sem necessitar de instalações adicionais e outras complicações. Outros programas que o acompanham por padrão são o Live Messenger (MSN), utilizado por milhares de pessoas ao redor do mundo, o Windows Media Player, o Outlook e o navegador Internet Explorer.

A versão mais atual do sistema operacional é a 6.5, no entanto, durante a Mobile World Congress Steve Ballmer anunciou o Windows Phone 7. Com visual mais “descolado” a nova versão do Windows para celulares e dispositivos móveis pretende colocar novamente a Microsoft na briga com iPhone, Symbian e BlackBerry.

O lançamento do Windows Phone 7 está previsto apenas para o fim de 2010. A vantagem desse SO – se você é usuário Windows – é a semelhança com a versão para desktop e a incrível facilidade de comunicação entre celular e computador.

Novo sistema

Além disso, com um lobby poderoso a Microsoft conseguiu o comprometimento de grandes fabricantes para lançarem produtos baseados em Windows Mobile. Acordos com a Dell, HTC, Samsung, LG, Sony Ericsson e Toshiba, por exemplo, são a certeza de ótimos celulares para rodar a próxima versão do sistema.

Os pontos negativos das versões atuais são a interface “truncada” e a dependência da stylus. Com menus pequenos e um gerenciador de aplicativos atrapalhado, pelo menos até o momento o Windows Mobile tem público bem específico. Espera-se que com o lançamento do Windows Phone 7 a Microsoft ganhe mais participação no mercado.

Android

O SO da gigante Google (que conta com um consórcio de mais de 34 empresas para bancá-lo) é também o que mais causa alarde na indústria de sistemas para portáteis e celulares, justamente por ter um apoio tão forte e pela sua natureza, de programação aberta, acessível a todos os interessados.

Baseado em Linux, ele traz consigo suporte para todo tipo de conexão sem fio (3G, EDGE, Wi-Fi e Bluetooth), para multimídia — inclusive vídeos de alta definição — e é extremamente versátil, facilmente adaptado a PDAs ou aos tradicionais telefones em barra, com suas telas menores.

Androids

Há menos de um ano no mercado, o Android é a bola da vez no mercado de celulares. Várias empresas anunciaram recentemente a utilização do sistema operacional para equipar seus aparelhos. A Motorola, Acer, HTC, Sony Ericsson e HP, além do próprio Google, são alguns exemplos de empresas que adoram o SO.

A sua grande capacidade de modificação, adaptação e o seu custo baixíssimo o tornam uma excelente escolha de sistema para aparelhos um pouco mais robustos, levando a antiga batalha contra o Windows a novos territórios.

Você encontra-o em aparelhos como Motorola ROKR E8 e RAZR 2 V8, Samsung, Nokia N810, HTC Hero e Nexus One. De acordo com a Google, a versão 1.6 representa 47.6% do total de aparelhos com o sistema operacional. A mais recente, a 2.1, já detém 20,4%.

Palm webOS

O sistema operacional da Palm não tem muitos adeptos no Brasil atualmente – se o compararmos com os SOs acima. A empresa possui sua marca muito enraizada no mercado corporativo, pois PDAs ainda fazem a cabeça de vendedores e executivos em geral.

Porém, o webOS não se popularizou muito no país. O primeiro aparelho a trazer o sistema operacional foi o Palm Pre, com teclado QWERTY físico e tela touchscreen tem uma tímida participação no mercado.

Um dos modelos da Palm

O webOS, assim como vários outros SO, é baseado em Linux, porém conserva pouquíssimos traços da distribuição. O Palm Pre foi o responsável por trazer os holofotes para o webOS, mas nem toda a agitação em torno do novo telefone conseguiu mantê-lo no topo.

Assim como o iPhone e Android, o webOS também possui uma loja de aplicativos. Mas com poucas opções, fica claro que não é um bom negócio investir nesse sistema se você adora novidades.

Bada

Depois de vender mais de 40 milhões de aparelhos touchscreen em 2009, a Samsung percebeu que estava perdendo dinheiro, pois todos eles possuíam sistemas operacionais de outras empresas. Para acabar com esse problema, em novembro de 2009 o SO Bada foi lançado.

Identidade visual do Bada

Assim como o Symbian, webOS e o Android, ele também é opens ource e foi desenvolvido exclusivamente para aparelhos Samsung. A intenção da empresa com seu sistema operacional é levar os smartphones para as massas e facilitar a vida dos usuários.

O primeiro celular com o usar o Bada foi o Samsung Wave. Um modelo com tela Super AMOLED, processador de 1 GHz e interface TouchWiz 3.0. O foco da Samsung com o Bada é justamente fortalecer essa interface. Por ser um SO recente, poucas novidades ou informações estão disponíveis, portanto vale ficar ligado nos novos aparelhos que chegarão ao mercado para o conhecer melhor.

MeeGo

Mais uma novidade no mundo dos sistemas operacionais móveis é o MeeGo. Uma parceria entre Nokia e Intel rendeu o mais novo SO do mercado. A Intel estava desenvolvendo o Moblin, enquanto a Nokia trabalhava no Maemo (além de ser a dona de boa parte do Symbian) e aí, resolveram juntar as plataformas e fortalecer apenas uma ideia.

Logo do MeeGo

O sistema baseado em Linux e open source ainda não está disponível, mas tem previsão de chegada no segundo semestre de 2010. O foco das duas empresas é levar o MeeGo além dos celulares e expandi-lo para netbooks, TVs, PDAs, GPS, e tablets. A intenção do MeeGo é integrar todos os dispositivos onde o SO estiver instalado e facilitar a comunicação entre usuários desses aparelhos.

BOM GALERA E ISSO.

RESOLVI COLOCAR ESTE POST, PÓIS SEI QUE MUITOS TÊM DÚVIDAS EM RELAÇÃO AOS SISTEMAS OPERACIONAIS DISPONÍVEIS NO MERCADO HOJE . ESPERO QUE AJUDE.

Você só pode baixar os aplicativos disponíveis na AppleStore – a menos que recorra à liberação do aparelho para aplicativos não oficiais, mas perca a garantia –, o que possui pontos bons e ruins. O lado positivo é que você sabe que tudo o que você baixar vai funcionar. Vírus ou outras ameaças com certeza não chegarão ao seu aparelho.

O lado ruim é a dependência da loja oficial e as restrições de compra de alguns aplicativos. Nem sempre é possível comprar o que você deseja na loja norte-americana, por exemplo. Também não há suporte para conectividade com dispositivos de terceiros, limitando o acesso a componentes Bluetooth .

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: